Sergio Riekes - Curtindo a Vida de Bicicleta




Falar de pedal em Curitiba sem citar o nome de Sergio Riekes é como desconhecer a história dos grupos de ciclistas da cidade.

Por este motivo, o recebemos para uma conversa informal, em que ouvimos uma parte da história deste curitibano louco por pedal.
O cara começou a andar de bicicleta aos 6 (seis) anos de idade no bairro Batel. Aos 10 (dez), já desbravava os parques de Curitiba, que, na época, ainda não eram parques, e sim uma mata nativa, se lembra saudoso.



Tão logo começou a trabalhar, aos 16 anos, Sergio Riekes comprou uma Calói 10, bicicleta dos seus sonhos na época, a qual lhe deu maior mobilidade e permitiu-lhe conhecer outros caminhos, bem como criar novas rotas em Curitiba e entorno. Um dos trechos que mais curtia na época era ir até Piraquara, onde tomava uma coca cola e retornava. O seu meio de transporte para o Colégio da Policia Militar e o trabalho, também era a bicicleta, isso lá por 1976.



Logo casou-se com Maria do Carmo, sua companheira até hoje, mas, contrariando o ditado, ainda assim comprou uma bicicleta, diz ele. Na época, Sergio já pedalava na famosa Estrada da Graciosa com uma Sundown, quando definitivamente adquiriu o gosto pelo cicloturismo.
Entretanto, sonhava com a companhia de sua mulher nas viagens de ciclotur. Foi então que Maria do Carmo participou do primeiro pedal como cicloturista organizado pelo Américo, pioneiro na modalidade em Curitiba. Após adquirirem um bom condicionamento físico, viajaram com os filhos na garupa de Guaratuba à Caiobá. Desde então, sempre que podem, estão juntos na bike por ai.

Nos anos 90, priorizou a faculdade e o trabalho como escrivão do tribunal de justiça do Paraná, e acabou recuando "um pouco" das atividades com a bicicleta.



No início pedalava com uns 30 amigos e familiares, mas com o surgimento da Internet e a popularização das redes sociais, postava alguns dos pedais que fazia, e com isso também, recebeu a adesão de adeptos às pedaladas. A partir daí, começou a pedalar à noite em grupo, com maior segurança e viabilizando os pedais noturnos por Curitiba. Com o surgimento do Facebook, a comunicação ficou mais abrangente, daí começou a pedalar com um dos primeiros grupos de Curitiba, o Bike Night Curitiba, criação do amigo Roberto Coelho, que hoje mora em São Paulo. Sérgio ajudou a popularizar a prática dos pedais noturnos pela capital paranaense, tradição que se mantém até hoje com saída do Largo da Ordem todas às quinta-feiras às 20:30 na praça Garibaldi. Na sequência, criou o Pedal Noturno Curitiba, que tem saída todas às quarta-feiras às 20h30 em frente à Prefeitura, no Centro Cívico, quando circulam por diferentes bairros da cidade por ruas pavimentadas, girando em torno 25 a 35km, dependendo da altimetria.



Ele não quer admitir, mas percebemos que o Sergio Riekes é um dos ciclista pioneiros em guiar grupos de pedaladas em Curitiba, não somente à noite, mas também nos finais de semana, com seus pedais de cicloturismo pela região, tendo muitos adeptos. Comenta que vários bikers que pedalaram com ele hoje montaram seus próprios grupos, o que o faz sentir-se recompensado por ter ajudado a estimular esta abrangencia. Mas comenta, com certa tristeza, o fato de que muitos usam a condição de líder de grupo para promover o ego, o ciúmes, a vaidade e a disputa para provar quem é o melhor. Para ele, pedalar deve ser uma prática saudável, que proporcione alegria e felicidade às pessoas, pois nada é mais gratificante que ver a satisfação estampada no rosto de todos.



Desprovido de ambição, se aposentou em março de 2016 e, com isso, encontrou mais tempo para suas expedições. Hoje é um cicloturista muito atuante e conta algumas das suas experiências no livro "Curtindo a Vida de Bicicleta". Para ele, o medo impede de realizar sonhos; quando planejamos demais, a gente acaba não fazendo nada.





Riekes não tem o hábito de usar GPS, Strava etc ... pois muitas vezes deixamos de conhecer pessoas e lugares novos por limitações destes instrumentos. Aliás, anda de bicicleta não apenas pelo prazer de pedalar, mas pela oportunidade de conhecer novas trilhas, ver os animais e desfrutar da energia que a natureza nos proporciona diz Sergio Riekes.



Ah, ouça a música "vamos pedalar" feita por Sergio Riekes e saiba mais sobre suas viagens no Blog Curtindo a Vida de Bicicleta

Por Ivan Mendes
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário