Cicloturismo Vale das Cachoeiras em Presidente Getúlio SC. PARTE II

Casa mal assombrada de 1928 - Foto Valmir Singh
No segundo dia de cicloturismo em Presidente Getúlio, fizemos um pedal para contemplar todos os gostos. Pegamos uma estrada de chão em direção à Serra do Uru, onde foi possível conhecer lugares típicos com a tradicional arquitetura europeia em muitos trechos do passeio. Além disso, desfrutamos também da gastronomia, produtos coloniais e atrativos naturais em meio a paisagens rurais belíssimas e muita natureza. Aliás, quando o assunto é natureza, há grandes destaques nesta região, com lindas cachoeiras, paredões, furnas, entre outras.



A cidade tem infraestrutura suficiente para acolher turistas e cicloturistas, com culinária acessível e hospedagens de ótima qualidade, como a do hotel Cayorá, onde ficamos por duas noites, bem instalados e muito bem tratados. 

E foi de lá que, às 07:00h da manhã de domingo, acompanhados dos nossos anfitriões, juntamente com mais alguns integrantes do Grupo Extremus, saímos para um pedal off road dos mais interessantes.



Durante quase todo o trajeto, a estrada é de terra, com poucas pedras no caminho, e podemos inclusive dizer que é plana, mas só até chegarmos à Serra do Uru, aonde realmente começa o desafio. Com subidas fortes, variações de terrenos, muitas pedras, erosões e um pouco de barro, foi possível curtir um verdadeiro pedal montain bike. Porém, todo o desafio valeu a pena, já que, lá de cima, a paisagem é imperdível, como se pode constatar nas imagens retratadas pelo fotógrafo Valmir Singh, um ciclista que não mede esforços para capturar os melhores ângulos. Tanto quanto as subidas, as descidas são desafios que exigem técnica, coragem e espírito de aventura, o que nos faz sentir verdadeiros mountain bikers.



Já lá embaixo, do outro lado da Serra do Uru, mais paisagens extasiantes, com sítios, chácaras e fazendas, todos com aquele especial capricho, típicos do povo de Santa Catarina, que tivemos o prazer de conhecer pessoalmente. Já com a fome batendo, fomos agraciados com a oportunidade de participar de uma festa local da Igreja de são Roque, região de Mirador, e conhecer um pouco das tradições da população local. Povo educado, simples e hospitaleiro. Nos sentimos literalmente em casa.



Logo depois, seguimos com o pedal em direção à Cachoeira do Sabiá, uma maravilhosa cachoeira de cerca de 70 metros de queda, lugar imperdível, rodeado de mata nativa. Antes desconhecida pela maioria, a cachoeira agora tem acesso facilitado, graças à dedicação desse grupo de ciclistas visionários que andavam com suas bicicletas desbravando e abrindo as trilhas que hoje são um dos atrativos mais procurados na região.


Compartilhe no Google Plus

5 comentários:

  1. Maravilha! Que passeio...fico a imaginar o visual.
    VALEU!!! Gratidão ao fotógrafo amigo Valmir.

    ResponderExcluir
  2. Vale a pena o pedal Emily, e o Valmir está de parabéns !!!

    ResponderExcluir